27 de jul de 2010

SOBRE ANJOS E ALMAS



Minha alma passeia colorida, leve e feliz. Pela primeira vez meus pensamentos a libertaram para voar. Dar pulinhos, saltitar ao léu. E ela passeia pelo mundo, pelos entraves, rindo um pouco de tudo. Porque tudo não deixa de ter seu lado engraçado.
Minha alma é meu anjo e eu só entendi isso agora. E anjos merecem férias de nós. Que tanto trabalho damos a eles. Também querem se divertir, brincar, namorar... Não deixamos e assim eles dão essas fugidas de nós, carrascos, que passamos a maior parte do tempo impondo regras e prazos, prazos e regras.
Meu anjinho é poeta. Um poeta simples, mas dos bons. Ele vê beleza em tudo, amor em tudo e se pudesse passaria todos os seus dias contemplando a vida com olhos de rouxinol. É. É isso. Antes de tudo ele é um passarinho e quer voar e pular de galho em galho, com olhos inocentes de criança. Recém nascida, pois elas são anjos e têm alma leve que de tudo ri. Bichinhos são anjos também. Meu cachorrinho pula, brinca e ainda me dá beijinhos. Imerecidos beijos. Se ele pudesse brincaria o tempo todo, mas eu esqueci a palavra brincadeira.
Já sou um ser viciado pela vida, triste de tanto ver e viver. Perdi a criança dentro de mim, quando a encontro, consigo ser feliz de novo, mas isso é raro, cada vez mais raro porque em algum momento sumiu a inocência, tenho os olhos gastos pela vida. Mas graças a Deus, a todos os Deuses, ainda sei reconhecer almas poetas, passarinhas e crianças. E ainda tenho um anjo que às vezes foge de mim, mas quando nos reencontramos, está cheio de doçura e alegria.

Um comentário:

  1. é a coisa mais linda este texto....
    delicado, uma beleza mesmo.

    ResponderExcluir