22 de abr de 2010

VAMOS TROCAR DE BEM?

Um amor como o nosso jamais deveria questionamento. Como quando se é criança e o máximo da briga é “trocar de bem ou de mal”. Nós crescemos. Crescemos? Crescemos mesmo?
Vamos crescer mais e juntos? Para descobrir no outro nós mesmos, sábios adultos. Que tal brincar de ser gente grande? Quer ser gente grande comigo?
Você que viveu comigo os melhores e os piores anos da minha vida, devemos esquecer, jogar tudo pro alto e voltar à infância e aos nossos irresponsáveis verdes anos?
Acho que é tarde para crescer e seria uma maldade depois de tudo...
Vamos brincar de ser crianças de novo?
Com você sou criança, sou boba. Amo a ponto de regredir sem medo... às vezes sinto vergonha de ser assim mas não consigo me sentir de outra forma. O suor nas mãos, o coração que bate disparado, ter que passar um milhão de vezes na mesma rua para conferir se seu carro ainda está lá... A inquietação, a timidez e o medo quando o telefone toca... e o pavor quando ele não toca. “Será pra mim?” “Será ele?” “Será que me ama ainda?”
Sou criança ao ponto de, apesar de reconhecer toda a minha fragilidade emocional, continuar me pegando a desenhar coraçõezinhos com nossos nomes perto e achar isso o máximo.
Acho você lindo e SEI que você não é. Mas quem se importa? Eu quero você só pra mim. Tenho ciúmes quando você olha oblíquo para outra e tenho pavor só de imaginar ser trocada.
Quando rompemos os amigos insistem para que eu conheça alguém novo, mas por quê? Você é tudo que me interessa. Sei que estou sendo infantil, imatura, boba, mas não ligo. É o único jeito que conheço.
ADORO que você me faça sentir assim, apesar do sofrimento, da angústia de saber ser muitas vezes tola e ingênua. Na verdade não sei se é bom, mas é o que quero.

3 comentários:

  1. EFÊMERO
    Considerações sobre o trocar de bem


    Ontem no final da tarde estava na varanda quando vi um beija-flor e pensei:
    -“Sua vida será efêmera, por isto ele aproveita cada momento para sugar as flores”.
    A palavra vem do grego ephhémeros e significa duração de vida curta. Também é uma espécie de insetos neurópteros que na vida adulta vivem de algumas horas a uma semana de vida.
    Os textos que escrevo são efêmeros, entendo que a paixão é efêmera, a vida é efêmera, tudo enfim é efêmero, então o que não seria?
    A consolidação das idéias, a filosofia, a arte, a ciência, a poesia se não são efêmeras, são profundamente datadas, e de certa forma efêmeras.
    Procuro preservar minhas memórias antes que estas se apaguem, e me deixem com a sensação angustiante e verdadeira que sou efêmero, e que elas só existem enquanto eu existo.
    É véspera de mais um feriado (efêmero) e decido tomar um whisquinho parecido com o sugar das flores do beija-flor, aproveitando cada momento, e não pensarei mais nisto.
    Passo agora a bola para você para refletir durante o feriadão, que espero ser eterno, sem trocas de bem e de mal,absorvendo que a vida é uma grande senóide e que nossos desejos e caprichos, como tudo, são efêmeros....
    Beijos do João

    ResponderExcluir
  2. ACHO ESSE TEXTO DE UMAINGENUIDADE (NO BOM SENTIDO SENTIDO) CATIVANTES AMEI! ISABELLA FRANCO

    ResponderExcluir
  3. O melhor do trocar de mal é quando depois, trocamos de bem...reconciliações são deliciosas. O pior de tudo, é quando somos trocados por outro "bem"... isso é "mau"... Nesse caso, o outro fica "mau" mesmo! deixa de ser bom! não é mais o nosso bem...Rsss!!! brincando com as letras, com o sentido das palavras, com o contrario delas, com as transformações entre o bem e "mau"... Putz! To fincando mau? - Não meu bem ! ....Bjs
    Fernando Scarpa

    ResponderExcluir