17 de dez de 2009

PEÇA “SIMPLESMENTE EU”, CLARISSE LISPECTOR

Minha “braço direito” Ana Laura foi assistir a peça “Simplesmente eu” e ficou louca pra falar um pouquinho das suas percepções...

“Tive o imenso prazer de assistir à peça ‘Simplesmente eu’ adaptada e interpretada brilhantemente pela atriz Beth Goulart. Ela praticamente encarna Clarisse Lispector com trejeitos e vestuários facilmente confundíveis. Alterna momentos de encenação do texto, que é da própria escritora, com momentos em que a interpretação vem na forma de pensamentos, reflexões, confissões de Clarisse.
A atriz tem uma entrega total, uma expressão corporal fascinante, uma leveza... Parece estar planando. Cada movimento seu parece de uma coreografia de balé, tendo total integração com a encenação. Movimenta o texto!
No cenário prevalece o branco, de uma simplicidade sofisticadíssima, com um jogo de luzes se comunicando o tempo todo com a interpretação com o que acontece no palco.
No final a atriz ainda fez uma fala super dedicada de incentivo à leitura como uma arma de conscientização, de reflexão e entendimento do mundo para que então possamos tomar atitudes em direção à sua transformação.
A peça leva a pensar na forma como vivemos, como sentimos, profundamente. Não consigo encontrar palavras pra descrever o quanto mexeu comigo e por que não dizer que me modificou?!
As angústias e satisfações de Clarisse são colocadas de uma forma em que nos remete às nossas próprias questões, nos ajudando a entender um pouco mais do que se passa dentro de cada um de nós, a partir da percepção de que conjugamos muitos sentimentos...”

Um comentário:

  1. Adorei,voce está escrevendo muito bem,menina.
    Joana Dale

    ResponderExcluir